18.6.09

Pra que serviu mesmo meus 5 anos de universidade?

"O diploma não é mais obrigatório para o exercício da profissão de jornalista. A decisão acabou de ser tomada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal por oito votos contra um. O ministro Marco Aurélio Mello foi o único que defendeu a manutenção do diploma.
A partir de agora, fica a cargo das empresas decidir se exigem ou não o diploma para contratar um profissional. E os cursos das universidades continuarão sendo válidos. A diferença é que o governo não poderá mais intervir em casos que envolvam este assunto. " (texto extraído do blog do Noblat, em 18.06.09)


O assunto virou pandemia: todos os sites, blog's e amigos da área de Comunicação Social estão interligados nessa questão. Alguns revoltados, outros ainda ponderando. E olha que a decisão foi tomada a pouco!

Essa discussão acerca da obrigatoriedade do diploma para o exercício de jornalista vem de tempos, mas só agora o Supremo Tribunal Federal resolveu sentenciar para valer sobre o assunto. Infelizmente, da maneira errada e por 'n' motivos! Com a decisão, hoje sou comunicóloga, e além de radilaista, agora também sou jornalista, pois a 'desobrigatoriedade' da habilitação me permite isso.

Ok, experiências na área (ainda que em rádio) tive, mas e o resto? Minha habilitação é uma, mas legalmente eu não 'tinha' direito de exercer a profissão. Ou seja, será um rebuliço sem tamanho que ainda gerará muita discussão e com razão. Tudo bem que antigameeeeente muitas pessoas exerciam a profissão de radialista e jornalista sem ter passado por uma universidade, num tempo em que a exigência era saber o ofício. Muitos se empenharam e hoje até são (com mérito!) referência para muitos jovens profissionais de comunicação...só que isso se deu numa época em que o contexto era absolutamente diferente do atual. Os tempos são outros e as exigências também o são (ou deveriam ser!).

Também é fato que tem muito autodidata com talento para área, que não consegue entrar na universidade e acaba se tornando melhor profissional que muito acadêmico pelos bancos das Ufmas da vida. Ainda assim, não justifica a decisão do STF. Trata-se de um assunto muito delicado que infere e muito na relação 'profissional-empregador', e que se formos pesar, não é uma decisão justa para com os profissionais que passam anos de sua vida numa academia, entre teoria e prática, ralando para se tornar um bom comunicólogo e conseguir seu espaço num meio cada vez mais concorrido e muitas vezes, desigual, onde o 'QI: quem indica' - acaba por prevalescer.

Agora é esperar e ver como as discussões vão se desenrolar sobre o assunto e se haverá uma ação contra!
O mais gozado de tudo é que a reinvidicação partiu do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo (Sertesp) e pelo Ministério Público Federal, que pedia o fim da obrigatoriedade do diploma.

É a vida!!!

17.6.09

Entre livros e eles, elas!

Hoje, às 4hs da manhã, em meio a tantos livros e apontamentos, parte de uma rotina que nos últimos tempos tem sido minha companhia mais que qualquer coisa, após as últimas viagens, permiti-me uns minutos de descanso e como quase sempre, ocupei-os com uma das minhas paixões: música!
Busquei algo que já tinha no Pc, quando lembrei de duas pérolas que havia encontrado na internet (santa tecnologia!): Amália Rodrigues e Billie Holyday

A primeira, uma cantora, fadista e atriz portuguesa que se estivesse viva, atingiria hoje seus 89 anos.
Minha aproximação com sua música não foi por intermédio de um português, mas pelo trailler do filme que conta sua história, lançado assim que cheguei a Portugal. Como gosto de biografias e essa era sobre a 'Rainha do Fado', logo meu interesse se manifestou. Pesquisei e pronto, já estava encantada!

Fuçando na net, acabei encontrando Amália e nada mais, nada menos que o mestre Vinícius, com a música 'Saudades do Brasil em Portugal', feita para ela pelo poeta, gravado em 1968, numa temporada de Vinícius na terrinha. É tudo muito espontâneo e talvez por isso mesmo, tenha ficado maravilhoso!
Como pode alguém descrever com tanta poesia, sentimentos que não são uma parte sua, mas o todo de uma infinidade de 'outros'?

video

A segunda, uma norte-americana da Filadélfia, mrs. Billie Holyday!
My Man foi o primeiro sucesso que conheci dessa diva. Assim como muitas artistas negras, num EUA dos anos 30, 40 e 50 (e até hoje!), Billie teve uma vida de dificuldades e lutas, acompanhada dos muitos vícios que o meio artístico oferece. Se estivesse viva, completaria 94 anos. E que voz, que olhar forte...se na primeira, Amália tinha Vinícius a acompanhá-la, Billie tem o mestre Louis Amstrong. Não precisa dizer mais nada!

Lembrei de Albert, dizendo: "Oh, mulher pra gostar de defunto! " (rsrs). Fazer o quê, a não ser deixar-me embalar por eles?


video

Sem mais comentários!

16.6.09

Presente de Dani, então...

Este é mais um meme que respondo, enviado por Dani linda.
Amiga? Parece aqueles cadernos de confidências que tínhamos quando pré-adolescentes (tive vários), com uma série de perguntas que as pessoas respondiam sobre vc. No caso do meme, vc responde, mas a idéia é a mesma (rsrs). Lembrei de quando eu corria atrás da galera para responder o meu. Acho que ainda tenho uns (rsrs). Fui uma adolescente quase igual às outras...hehe...tempos bons. Deu saudade!

Presente seu, respondo com prazer! Gd beijo e obrigada pelo selo!


Obs: Dani e eu nos conhecemos embaladas por aquilo que adoramos: música e cantar, no núcleo de programação musical da rádio, há alguns anos e desde então a amizade só amadurece! Casou-se há menos de duas semanas e deixou-me muito feliz, pois sei que realizou um desejo! É uma pessoa meiga e de voz delicada, suave, que respira mpb e que eu adoro!
Espero que gostes!
As perguntas...

- MANIA - Nossa! São tantas...andar com um mp4 no ouvido quase 24 horas por dia. Tenho uma folga, música! Algumas pessoas acham que sou tosca, pois gritam e eu não respondo (rs). Oh, gente! Não escuto, porque o volume está sempre nas alturas!
- PECADO CAPITAL - Sou chocólatra! Então...
- MELHOR CHEIRO DO MUNDO - o meu (rs)... do mar!
- SE DINHEIRO NÃO FOSSE PROBLEMA, EU FARIA... - tudo que me trouxesse prazer, alegria, paz!
- CASOS DE INFÂNCIA - Eu vivia no colo dos amigos dos meus pais, nas festas que ele faziam ou quando meu pai tocava. Tanto birrava, que eles já me levavam junto...hehe...queria ser gente grande antes do tempo!
- HABILIDADES COMO DONA DE CASA - mudar as coisas de lugar serve?! (rs)
- O QUE NÃO GOSTA DE FAZER EM CASA - lavar banheiro e roupa
- DESABILIDADES COMO DONA DE CASA - (kkkk)..todas!
- FRASE - Somos reflexos de nossas escolhas!
- PASSEIO PARA ALMA - O mar, música!
- PASSEIO PARA O CORPO - Hum...deixo descobrir!
- O QUE ME IRRITA - Não costumo me irritar fácil, mas não gosto de mentiras e julgamentos sem prova!
- PALAVRA OU FRASE QUE USA MUITO - Que cú de xita! Oh, bb! Meu anjinho..! (rs)
- PALAVRÃO MAIS USADO -Não sou muito de palavrões, mas às vezes gosto de dizer: 'Puta m...'
- DESCE DO SALTO E SOBE O MORRO QUANDO...- Vixe! Amiga, demora muito pra isso acontecer, mas quando acontece é porque estou no limite! Depende da situação e pessoa!
- PERFUME QUE USA NO MOMENTO - Não sei o nome,acredita? Mas é doce, sem enjoar!
- ELOGIO FAVORITO - Quando meu pai diz: "admiro sua determinação!"
- TALENTO OCULTO - Fico com vc, Dani! "O pescador tem dois amor, um bem na terra, um bem no mar..."
- NÃO IMPORTA QUE SEJA MODA, NÃO USARIA NEM NO MEU ENTERRO - piercing!
- QUERIA TER NASCIDO SABENDO...- o que hoje sei e o que ainda aprenderei!
- SOU EXTREMAMENTE - paciente (ainda!)

As regras deste meme são:

O selo vem acompanhado de algumas regrinhas:

1- Dizer quem te presenteou com o selo e colocar o link do blog ( feito);
2 - Copiar e responder a um questionário (acima);
3 - Presentear 5 blogs com o selo e avisá-los sobre.

Para continuar o meme, indico: Tosca-mor: doida e santa; Poly: música para comer; simone: poderia ser eu; Virgínia: Fantasticamente simples e Flávia: Me deu na telha...eu falo é mesmo!

Mãos à obra,meninas!
Beijinhos!

10.6.09

Superação

Nunca desistir na primeira gongada, nem na segunda...nem nunca!

Superar sempre!

Ver o erro, corrigir! Mesmo sem nunca ter visto ou trabalhado com 'ossos' : fêmur, epífase, diáse, etc; vir de uma realidade diferente (o que não justifica!), enfim...

acreditar!

Eu acredito!

9.6.09

For you, my dear!

Fui cobrada ontem: por que nunca digo (diretamente) mais sobre mim. Estou nos meus textos, disse. Mas não foi suficiente. Então...

Nunca fui uma pessoa de desistir das coisas, nem das pessoas. Talvez complascente demais, é verdade! Mas como minha vida vem tomando um rumo a princípio não planejado (que creio eu estar escrito, pois não vejo outra razão para que tudo acontecesse assim), às vezes pergunto-me por que neste sentido pareço teimosa em não desanimar: seria mesmo perseverança?!


Em menos de dois meses embarquei numa jornada desconhecida, desejada por muitos e absolutamente resvalada por minhas esperanças. E joguei-me nela, depois de muitas lutas, muitos sacrifícios, muitas lágrimas, mas também muitos sorrisos e fé. Tudo isso porque para algumas pessoas, as respostas para as escolhas feitas ou o resgate de débitos passados se pronunciam sem temor; e fui!

Fui e encontrei-me numa redoma de diferenças, de línguas, de egos, de simplicidade e de conhecimento. Muitos conhecimentos! Um tanto atropelados, talvez...muita coisa ao mesmo tempo, com perfis e bagagens distintas num mesmo espaço, o que significa assimilações também distintas. Mas todos têm seu encanto, seu ponto forte e comigo não foi diferente!

Em algumas ocasiões, ser uma comunicóloga mais à avessa que pode existir, atrapalha. Pergunte-me o que quiser numa conversa informal sobre meus trabalhos ou 'conhecimentos' e vais ter a pessoa mais tagarela que já viu; mas dê-me uma platéia e as coisas mudam de figura.
Estar sob as lentes, holofortes, ser o centro ainda que por minutos nunca foi meu forte. Palestras, Comunicações sempre foram difíceis (meus amigos e colegas que o digam!)... mas nada que práticas constantes não ajudem. O certo é que sempre gostei de trabalhar por trás das câmeras, não na frente! E como gostava (era [ainda sou!?] uma máquina de trabalho. Sem horários pra almoço, cafezinho, nada)...fiz muitas amizades! Sempre sorrindo (espontaneamente e não só por educação!), solícita, carinhosa até, o que as vezes me causava problemas quando se tratava de rasos. Nunca esqueci a entrevista com o escritor Thiago de Melo, no Vila Rica...foi incrível e como ele foi raso (rs)!. Assim segui...até aqui!

Falo muito em 'muitos' momentos, e dependendo do 'círculo' falo quase nada (para alguns sou um mistério em forma de gente): expressão séria, olhar direto [que devo ter herdado do meu bisavô índio!], feição moleca (difícil acreditar!), que se solta e causa espanto em que vê justamente pelo lado bravio indígena.

Mas assim caminho...e quanta coisa diferente do que era minha labuta: pré-história, evolução humana, geologia, lítico, arte rupestre...confesso que de início assutei-me, mas depois as coisas foram se encaixando e fui me encontrando e hoje posso dizer que faria tudo de novo: todos os sacrifícios (que não foram poucos e que detiveram uma imensadão de amigos!), todas as preocupações e noites de sono perdidas (minhas e dos meus!) por não saber como se resolveriam determinadas coisas! Algumas pessoas não têm idéia do quão preocupado pode estar um sorriso expresso num momento de descontração...

Muita coisa para mim ainda precisa de bases
mais forte: alguns "chumbamentos" no histórico (por bobagem, até...saber a resposta e trocar as bolas por estar sob pressões 'exteriores'); alguns contratempos, alguns olhares tortos...nada que concentrar-se nos seus objetivos e nos livros não resolva (rs)!

Talvez por não ter medo das falhas, derrotas, contratempos, e por gostar de estar em movimento, trabalhando, realizando, não desista das minhas coisas, a não ser que aprenda com a vida que assim deve ser! Chorar sempre que tiver vontade, brigar se for preciso (mesmo detestando brigas!) e continuar...não disseram que o que é admirável em mim é que eu gargalho das dificuldades e não desanimo?! Então, que seja!

O amanhã? Não faço idéia, mas idealizo-o e busco. Busco em paz, tranquila, tentando fazer meu melhor! No meu tempo...

Respondido, jovem?!

1.6.09

'O tempo...sempre ele a se manifestar!'

Somos tão tolos às vezes, que quando percebemos, mais tolos parecemos ser!

Quão enganoso é o olhar dos largos sorrisos, dos gestos psedo-espontâneos, das discussões silenciosas de um espaço onde confluem muitos interesses, muitos desejos, muitas vaidades... e quão traiçoeiras podem ser as vaidades, quando não se sabe com ela lidar!


Quão espontâneas são as manifestações de amizades dúbias, de galanteios condicionados, afetos puros como uma criança, sedentos como o meio termo entre o impulso e o amadurecer...

Quão velozes tornam-se as histórias e estórias, que de um minuto se transformam em uma eternidade, absurdamente diferente do contexto original; e quão apruto espanto nos toma quando somos o enredo...

Inocência, malícia, prudência, falsos impulsos...
fantasia, realidade, transformações...

Como lidar? (rs) Não se lida. Reage!

Você vê, compreende, interpreta, sente...confia naquilo que acredita ser a 'verdade' do seu coração e continua. Continua porque crê no que aprendeu a ser através do amor e do sangue; naquilo que é a sua 'natureza'!...continua a trilhar seu caminho em paz, feliz, sorrindo das dificuldades, agradencendo-as por tornar-te forte, bendizendo as alegrias... e continuas... com ele, o tempo!...sempre ele a se manifestar!