15.1.09

Sempre elas!

Escrever às vezes é difícil!
As palavras - as minhas palavras! - muitas vezes são escritas em sintonia com o entoar da minha fala, da minha voz, do meu sentir. Em outras, podem ser interpretadas da forma como eu queria e às vezes não.
Palavras ditas com alegria, num tom de brincadeira, levadas a sério; palavras ditas a sério, num tom sereno, levadas como brincadeiras; palavras ditas com uma intenção particular; palavras ditas com uma 'vontade coletiva'.
Às vezes questiono-me quanto à sua recepção. Outras deixo seguir, por saber que a intenção, o entoar foi sincero, simplesmente meu!
Com elas sigo...observando, sentindo, chorando, gargalhando, vivendo!...com as minhas palavras adultas, com as cheias de 'meninice', brejeiras...sempre a descobrir!
Sempre elas!

12.1.09

Senti saudades!

Em 1900 e lá vai anos, meu pai pediu-me um presente. Ele ia pagar, claro, eu era uma pirralha (rs). Lembro bem! A globo estava lançando uma coleção do The Mamas & Papas, ainda no tempo do vinil, uma capa rosinha, com eles numa bóia, no meio de uma piscina...eu nunca tinha ouvido falar deles antes!

Pois bem. Fui buscá-lo no serviço, numa sexta-feira (mamãe adorava quando eu fazia isso, porque assim, sabia que ele voltava cedo pra casa. Afinal, era dia de chopp com os amigos [rs]), e aproveitei pra comprar. Cheguei em casa, fiz uma dedicatória (riscando como sempre!), pus data, tudo direitinho...quem disse que meu pai escutava? O disco ficou mofando no armário não sei quanto tempo, até que um dia resolvi ouvi-lo. Fui pra primeira faixa, pra segunda e à proporção que estas iam terminando eu ia me apaixonando por eles, pela melodia, pela 'áurea anos 60' que ele inspirava, pela harmonia das vozes e por ela, Mama Cass Eliott. Nossa, que vozerão!

Daí pra começar a pesquisar o resto foi um pulo. Alguns discos mais consegui e ainda hoje os tenho muito bem guardados para o meu 'mini museu-biblioteca', junto com outras raridades.

E hoje, desde a manhã logo cedo, lembrei-me dela (Mama Cass), deles (Mamas & Papas) e do meu pai, que me 'adulava'(rs) pra cantar 'Dream a little dream of me' com ele. Que tola era! Hoje, longe por um período, desejei mais que nunca estar com ele, seu violão e a lua cheia a iluminar nossa varanda, cantarolando suas músicas que só eu sei!

Como bateu-me uma nostalgia com um "q" a mais de saudades, fico com esta imagem e este som!

video

Que segunda, meu Rei!

Hoje parece até o dia das notícias!
Mal entro no msn, um amigo me pergunta se conhecia fulano. Eu pergunto por que, e ele diz que morreu. Tratava-se do diretor do Laborarte, que faleceu em virtude de um AVC. Na Rádio temos contato com muita gente que faz cultura no Estado e ele era uma dessas pessoas.
Ainda na parte da tarde (já no final), venho pro museu e abrem-se três janelas ao mesmo tempo, fazendo a mesma pergunta: "Conhecia cicrano?" Eu disse: "Sim, por que?". Este também morreu num trágico acidente ao fazer umas fotos pro trabalho. Tratava-se de um colega do curso, que estudou conosco, formou primeiro e já estava há um tempo na batalha por um espaço. Nossa! Fiquei até zonza com tantas janelas...e com as notícias 'fortes'. Embora saiba que quem me disse, foram pessoas amigas que quiseram me informar do acontecido. E agradeço a preocupação. Ninguém gosta de receber notícias como estas, mas num meio como o nosso (Comunicação), dificilmente se escapa!
Fiquei triste, apesar de o contato não ter sido tanto! Como disse em um post antigo, a gente sabe que ela está perto, mas quase nunca está preparado pra ela - a morte!
O que posso desejar é que suas famílias tenham fé e força para superar a perda e que eles façam uma boa passagem!
O resto é entregar nas mãos de Deus!

Maranhão no raking do trabalho escravo!

Sempre que posso, dou um jeito de ver o que anda acontecendo em meu Estado. E hoje, havia uma reportagem sobre o trabalho escravo no Maranhão, que lidera o 3° lugar no raking. Dentre tantas notícias não tão boas (greve dos policiais, risco de desabamentos, fuga de presos, etc...), foi a que mais me chamou a atenção, apesar de este ser um assunto antigo a circular pela 'terrinha'!
Não preciso dizer que é um absurdo em pleno século XXI ainda nos depararmos com esse tipo de coisa.

A história é a mesma: trabalhadores que vão atraídos pela promessa de melhores condições de vida. Ao chegarem, logo despertam para a realidade nada bela de um ambiente de descaso e sofrimento. Têm que comer, portanto, farão dívidas. Se não as pagam, morrem. Se questionam, morrem ou são maltratados. Péssimas condições de higiene, péssima alimentação, sem falar do resto. Os estados do Maranhão, Pará e Mato Grosso são os recordistas!
"Segundo o último cadastro de empregadores que utilizaram mão-de-obra escrava divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), 66% dos flagrantes do crime ocorreram em estados pertencentes à Amazônia Legal, região que abrange Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão. O cadastro, divulgado semestralmente pelo governo desde 2003, é conhecido popularmente como “lista suja” e reúne 201 nomes de fazendeiros e de empresas." (Dados: imirante.com)
Ainda falta muita coisa a ser feita, é sabido. Mas infelizmente, o que tem sido realizado, dá-se numa velocidade um tanto lenta. Faltam ações: políticas públicas mais eficientes, ações por parte dos governos e munícipios...

Não podemos continuar neste ciclo, nesta passividade!

Tem-se que cobrar, mas também fazer cada um sua parte! E as denúncias são uma dessas formas!
Vale pensar nisso!

7.1.09

Algumas coisas não têm preço!

Não lembro exatamente em que dia os conheci, mas lembro bem da forma que cada um entrou na minha vida e do afeto que nos envolveu e que até hoje, apesar da distância territorial, só aumenta. Tenho a certeza que quando eu voltar…vitoriosa? Não sei! Frustrada? Talvez! Feliz? Sempre! Nada do que ocorra vai ser em vão. Nunca o foi! Mas…independente da forma, das experiências, eu sei que eles vão estar de braços abertos pra mim! Assim como estarei pra eles!

Eu pedi: "Vão ao mar por mim e peçam as bençãos dele"… Eles toparam!
Confesso que fiz um dengo (rs). Mas saber que eles foram, pra mim, foi mais que um presente…não sabem eles o significado que teve!

Quisera ser metade do que vocês acreditam que sou!

E assim foram…três amores, ao encontro do mar, no meu ‘canto’, perto dos ‘meus’…pedir as bençãos por mim , por eles, por nós!
Minha gratidão eterna!
...

“Hoje, tento voltar no tempo e imaginar aquele nosso primeiro momento, aquele em que somente os olhares foram cúmplices. “Mas o que ela viu em mim?”. A iniciativa foi tua,admito. Não era somente o CD que lhe interessava. Era saber mais o que aquele rapaz magrelo e empolgado em falar de música podia oferecer. Íamos entrando um no mundo do outro através da música, das canções que nos revelavam sutilmente. Eu, ia lhe desnudando em cada canção de João do Vale, em cada trecho que dizia muito de ti e que eu somente veria pleno no dia-a-dia. Mas ainda acho que a troca dos CD’s foi mesmo um passaporte. Um ingresso para duas vidas que ainda teriam muito a compartilhar. E assim aconteceu!” (Alberto Jr. , 06.01.09)

“Como
eu não posso me ater ao medo, prefiro confiar e usufruir da benção que Deus me concedeu. Ela não sabe, mas quando eu tenho muita vontade de chorar, desejo muito o seu colo. E, quando eu tenho vontade de gargalhar, uma das primeiras caras de boboca que me vêm à cabeça é a dela” (Luana Diniz, 17.12.08)

“Adoro o afago dela, o carinho sobre-humano que ela tem pelas pessoas. Ela é admirável e é dona de uma bondade e serenidade que as vezes eu acho que mila não existe. Mas existe e só posso dizer que te amo” (Poly Amorim, 01.08.08)


Amo vocês!

6.1.09

Dia de Reis!

Hoje, seria estranho...
Se eu tivesse nascido em outro dia que não fosse esse!
Se meu nome não coincidisse com o dia e se ele (este dia!) não me inspirasse paz!
Se eu não fosse um turbilhão de coisas num só ser!
Se eu não fosse tão sonhadora, e mais estranho ainda se, ao mesmo tempo, não fosse tão pé no chão!
Não sentir a saudade que tenho de "pessoas", suas palavras, seus afagos e tudo mais...
Não sentir-me feliz, mesmo longe deles...
6 de janeiro - Dia de Reis...meu dia!

1.1.09

Um novo começo!

Hoje estou aqui serena, feliz e com esperança de um ano absolutamente cheio de luz!
Não deixo de pedir isso, mesmo sabendo que ela – a vida – me responderá segundo a sua vontade e os meus “passos”… ainda assim, sonho! E tenho fé, porque acredito na verdade que há em meu coração, embora nem sempre ela esteja no meu caminho. Mesmo assim, mais uma vez digo: tenho fé! E me faço valer dela, porque acredito no bem, na luta, no meu “caminhar”, nos meus!

E com essa serenidade (que às vezes me dá a honra de tê-la comigo!) passo para desejar um 2009 cheio de coisas boas, de caminhos percorridos com amor, saúde, alegria, realizações... e muita melodia, pois assim espero que seja o meu 2009. Confesso que estava um tanto triste por pensar que entraria o ano sem a presença adorada do mar, mas eis que fui presenteada com sua visão, seu cheiro, seu som, seu toque… e quanta saudades sentia dele! Diferente dos outros anos, neste, fui brindada com o mar na cidade de Lisboa, envolta de uma paisagem que respirava história por todos os cantos…e que bom que foi assim!

Eis que nos últimos minutos de 2008, prestes a brindar o novo ano, fui abraçada por uma chuva de fogos espetacular. Entretanto, o que me fez fascinar mais que os fogos, foi a forma como eles se apresentaram…quando começou o primeiro pipocar de luzes, junto com ele veio uma melodia “medieval” em sincronia…e que sincronia!!! A cada acorde, uma luz…simplesmente mágico! Quem me conhece, não se admira quando eu digo ter me transportado naqueles 17 minutos. Apesar de uma multidão de pessoas, de países, de continentes ao meu redor, senti-me só…mas foi uma solidão maravilhosa, desejada…minha!

E que venha o Dia de Reis, pois ele - o meu dia - será o encerramento de um ciclo, e o começo de outro, ‘esperado’ e ‘real' !!!

Que entre 2009 e seja bem-vindo!

Feliz Ano Novo!