9.2.08

Odo Iyá, Rainha do Mar!

No último sábado, dia dois de fevereiro, foi comemorado o Dia de Iemanjá.

Também conhecida como Janaína, Senhora das Àguas...Iemanjá é um orixá africano, cujo nome deriva da expressão iorubá Yèyé omo ejá (Mãe cujos filhos são peixes).
Festejada na Umbanda e no Candoblé, Iemanjá também corresponde no catolicismo à Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora dos Navegantes e...uma infinidade de nomes. Mas isso, acho que muita gente já sabe.

O sincretismo religioso brasileiro é algo de uma intensidade
e diversidade enormes. São muitos os santos, orixás, caboclos, gurus, doutrinas...Uma diversidade tamanha que torna o país um balaio de gato de muitas faces. Isso é maravilhoso!

Cada um escolhe o que quer seguir e como seguir. Pra mim, respeitar o direito do outro de fazer parte do que achar melhor é mais que um direito, é um dever!

Como saber se a religião ou doutrina ou sei lá o quê que eu sigo é o certo? Seria muita pretensão nossa. Não há como saber, por mais que muitas pessoas atestem e tentem provar por "A" mais "B". Não vale interferir na vontade alheia sob nenhum aspecto, principalmente religioso. A vida está aí a cada segundo mostrando que nossa única certeza é a morte (que pra mim, não é o fim, mas o começo!). No fundo, não é difícil perceber que somos reflexos de nossas escolhas. Em outras palavras, cedo ou tarde responderemos por nossos erros e seremos recompensados pelos acertos. Não precisa de religião pra isso! Não estou desmerecendo a religião, nem dizendo que ela não seja, de certa forma, necessária. Ela tem seu valor, sim. O que dificulta é a forma como nós reconhecemos e validamos isso.

Na realidade, um coisa que deve valer é cada um buscar o próprio progresso, sem se ater ou desejar o mal alheio, construir com suas próprias ações, agir por si, ainda que em função de muitos.

Houve um dia em que uma amiga disse que aquele que crê em santos, orixás, buda, espiritismo e outros está cego, influenciado pelas forças do mal...
Sinceramente? Respeito a maneira como ela percebe tudo isso, mas discordo completamente, embora saiba que muitas vezes, a forma como pensamos é reflexo da educação que nos foi dada, das coisas que nos foram passadas para acreditar como certas, mesmo que isso não nos redima do aprendizado da vida.

Acho todo esse sincretismo lindo. Acredito que há muito mais coisas sobre nós que nossa simples e ainda bruta concepção nem sonha conhecer.
Falta-nos apenas mais tolerânica!

Deus é um só! Que importa seu nome?

1 comentários:

Luca disse...

Sim, sim. Deus é um só. Pelo menos, para mim o é.
Muitas pessoas dizem que respeitam as religiões de outrens. Mas, afinal de contas, o quê é esse respeito?
É ouvir a religião do outro, ficando calado e não esculhambá-la?
Então, eu vou ser sincera q eu não respeito a religião de ngm. Talvz, eu chegue a respeitar a pessoa de fé, q me fale sobre a religião dela, mas, no meu íntimo, eu condeno a tal religião.
E acho mais chato ainda qdo as pessoas dizem q são abertas às crenças, respeitando-as, e não se propõem a conhecê-las. Eu sou uma delas.

Beijoooooooooo