10.6.10

Minhas palavras...

Um dia, disseram-me que as palavras deveriam ser sempre comedidas, pensadas, cuidadosamente proferidas...seria mais sensato!
Concordo em alguns pontos. Acho que não venho sendo exatamente comedida com as minhas. Não quando se trata do pessoal, porque em dados momentos, a intimidade te dá a liberdade de não medí-las - as palavras. Não implica dizer a torto e a direita tudo que lhe vem à cabeça...mas há situações em o que muito cuidar tira-lhes a 'verdade', a emoção, a espontaneidade!

Tenho sido muito espontânea ultimamente. Na maioria das vezes, sem danos. Uma espontaneidade que, de certa forma, deixa-me mais livre, sem reservas ou pressões. De repente, a espontaneidade que aquele saudoso quilombola disse "que me dava a juventude e inocência de uma criança ao mesmo tempo em que deixava com a malícia do florescer de toda uma vida, mas também a seriedade que me torna velha quando eu deveria começar a viver!". Tudo bem que muitas vezes ele me falava pela metade, como se a deixar o complemento para mim, mas de certa forma, há alguma razão nisso!

Sempre digo para ponderarem minhas palavras e não as interpretarem pelo 'imediato'. Não gosto de me preocupar com as interpretações que possam ser erroneamente feitas a partir delas, o magoar, o confundir...não gosto da sensação de 'quebra'...mas hoje, já não me atenho tanto a isso...espontâneas ou não, são as minhas palavras, apenas minhas!

3 comentários:

Lorena disse...

Adoro seu blog...tão enigmático rsrs
bjs

Vc curte rock? disse...

Não só suas palavras como também o seu ponto de vista.


Siga em frente fiel a elas...

Fale Dona!!!!!!! abraço

neo-orkuteiro disse...

Oi, Dona
Conheci este seu blog por mero acaso.
Quero deixar registrada minha apreciação.
Gostei, mesmo.